Publicado por: Pedro Tavares | 14/07/2008

A última aula: uma lição de vida

Um professor de ciência da computação nos Estados Unidos descobre que tem um câncer no pâncreas e decide dar uma aula diferente. A aula de despedida. Uma lição de otimismo, uma lição de vida. Uma aula que está emocionando milhões de pessoas no mundo todo.

Randy Pausch estava no auge da carreira e num dos melhores momentos da vida: 47 anos, aparência jovem, simpático, cheio de energia. Um professor que encantava os alunos.

As fotos com a mulher e os filhos – de 5, 2 e 1 ano de idade – mostram uma família feliz.

Os planos e sonhos desmoronaram quando os médicos deram o diagnóstico, em agosto do ano passado. Randy tem um dos tipos mais violentos de câncer: no pâncreas, um órgão do aparelho digestivo. Viveria – no máximo – mais seis meses. Ele se viu diante da pergunta: o que fazer quando se tem data marcada para morrer?

Randy Paush disse que se fosse um pintor, faria um quadro. Se fosse um músico, teria composto uma música. Como é professor, decidiu dar uma aula. Para os colegas e alunos que lotaram o auditório, ele deu um aviso: não esperem lições sobre como enfrentar a morte. A lição é sobre a vida.

A aula foi um mês depois do diagnóstico. No único momento em que fala da doença, ele compara a vida a um jogo de cartas.

“Não podemos mudar as cartas que nos dão, apenas como vamos jogar aquela mão. E se não pareço deprimido ou abatido como deveria, sinto por desapontá-los. Aliás, estou em excelente forma, estou em melhor forma que a maioria aqui dentro”, disse o professor.

E dá uma prova do que acabou de dizer. A aula se chama: “Como conquistar os sonhos de criança”. Randy diz que sempre quis flutuar no espaço.

Não se tornou astronauta, mas conseguiu convencer a Nasa a entrar num avião que simula a gravidade zero.

Tentou ser jogador de futebol americano. Também não conseguiu, mas aprendeu uma grande lição no dia em que o treinador não parava de criticá-lo. “Se você está fazendo algo errado e ninguém diz nada, você está perdido. Os seus críticos são aqueles se preocupam com você.”

E descobriu que é possível ser feliz mesmo sem realizar os sonhos do jeito que se imagina.

“Se você conduzir a sua vida do jeito certo, os sonhos vão ao seu encontro”, afirmou.

Ele se tornou professor – na Universidade Carnegie Mellon, na Pennsylvania – de uma disciplina considerada árdua: ciência da computação.

Na palestra, ele mostra que cativava os alunos. Incentivando a imaginação deles e tentando fazer tudo ser divertido.

“Eu não sei como não me divertir. Eu vou morrer se não me divertir. E vou me divertir todo o dia que me restar”.

A mulher dele, Jai, estava na platéia. Randy a usou como exemplo da importância de focar nos outros em vez de olhar só para si mesmo. O dia anterior à aula era aniversário dela, o último que – provavelmente – passariam juntos.

“Eu me senti mal por minha mulher não ter uma festa de aniversário apropriada. E achei legal fazer na frente de 500 pessoas”, disse.

Todos cantaram parabéns. A emoção tomou conta de Jai e da platéia.

Moshe Mahler era um dos alunos que assistiram à aula.

“Minha primeira reação foi perceber que estava ouvindo algo que se tornaria uma referência na minha vida”, contou o aluno.

“Procure o melhor nas pessoas. Talvez você tenha que esperar muito tempo, talvez anos, mas as pessoas vão mostrar o seu lado bom”, diz o professor.

A palestra se tornou um sucesso na internet. Já foi assistida por mais de dez milhões de pessoas e virou um livro. O professor Peter Lee – colega dele – também estava no auditório.

“Não há nenhuma grande revelação ou nova filosofia. Mas uma confirmação de que os melhores sentimentos que você tem sobre o mundo e sobre as pessoas são verdadeiros”, afirmou Peter Lee.

Numa entrevista, Randy disse: “eu não sei viver sem alegria, certo? Então eu estou morrendo e tendo alegria”.

Mas revela: “Fico triste quando penso nos meus filhos. É como empurrar minha família para um precipício e não estar lá para protegê-los. Mas estou aproveitando meu tempo para fazer redes de proteção, para que não sofram tanto.

E encerrou a aula dizendo: “Estas palavras não são para vocês. São para meus filhos”.

Randy está fazendo tratamento. Depois de uma breve internação hospitalar, voltou para casa, ao lado dos filhos e da mulher.

Confira aqui trechos da palestra do professor Randy.

Reportagem exibida no Fantástico, 04 de maio de 2008.

Anúncios

Responses

  1. Isso é uma verdadeira lição de vida,
    tem muitas frases emocionantes, ele realmente soube como viver, e como morrer…

    “Procure o melhor nas pessoas. Talvez você tenha que esperar muito tempo, talvez anos, mas as pessoas vão mostrar o seu lado bom”, ele mesmo diz…

    vamos tirar muitas lições dele…
    vamos tentar melhorar-nos…

    ate mais.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: