Publicado por: Pedro Tavares | 26/02/2016

Luz da Escola (trailer oficial)

Publicado por: Pedro Tavares | 22/02/2016

Escola Jesus Cristo – Site Oficial

Está no ar a página oficial da Escola Jesus Cristo. Lá, você encontrará informações sobre a Escola, seus serviços, atividades de Evangelização, além de informações sobre a Doutrina Espírita e download das obras básicas da Codificação.

Portal Oficial da Escola Jesus Cristo, Instituição Espírita de Cultura e Caridade.

http://www.escolajesuscristo.org.br

Publicado por: Pedro Tavares | 20/01/2015

Presença do Amor

Poesia de Auta de Souza, dedicada a seu filho espiritual, Clóvis Tavares, psicografada por Chico Xavier. Música de Norberto Boechat.

Publicado por: Pedro Tavares | 20/01/2015

Centenário de Clóvis Tavares (1915 – 2015)

Flávio Mussa Tavares fala sobre seu pai, Clóvis Tavares, e Chico Xavier.

Publicado por: Pedro Tavares | 20/01/2015

Em Plena Luta (Emmanuel)

Publicado por: Pedro Tavares | 10/06/2014

Isaías 65 e Apocalipse 21

Na aula da Mocidade, no último domingo, 08 de julho, seguindo um estudo proposto por Hilda Tavares, realizado na Sala Clóvis Tavares, fizemos o estudo dos textos de Isaías 65 e Apocalipse 21.

Em seguida, os alunos anotaram os pontos de semelhanças encontrados entre os dois textos.

Seguem os textos e o estudo dos alunos da turma da Mocidade, com a participação especial da turma dos alunos de 11 e 12 anos que nos fizeram companhia neste domingo.

Isaías 65

17 Porque, eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá mais lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão.
18 Mas vós folgareis e exultareis perpetuamente no que eu crio; porque eis que crio para Jerusalém uma alegria, e para o seu povo gozo.
19 E exultarei em Jerusalém, e me alegrarei no meu povo; e nunca mais se ouvirá nela voz de choro nem voz de clamor.
20 Não haverá mais nela criança de poucos dias, nem velho que não cumpra os seus dias; porque o menino morrerá de cem anos; porém o pecador de cem anos será amaldiçoado.
21 E edificarão casas, e as habitarão; e plantarão vinhas, e comerão o seu fruto.
22 Não edificarão para que outros habitem; não plantarão para que outros comam; porque os dias do meu povo serão como os dias da árvore, e os meus eleitos gozarão das obras das suas mãos.
23 Não trabalharão debalde, nem terão filhos para a perturbação; porque são a posteridade bendita do Senhor, e os seus descendentes estarão com eles.
24 E será que antes que clamem eu responderei; estando eles ainda falando, eu os ouvirei.
25 O lobo e o cordeiro se apascentarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; e pó será a comida da serpente. Não farão mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o Senhor.

Apocalipse 21

1 E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.
2 E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido.
3 E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus.
4 E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.
5 E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis.
6 E disse-me mais: Está cumprido. Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida.
7 Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.
8 Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos que se prostituem, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.

Comparações entre os dois textos, propostas pelos alunos:

1 – Em Isaías, é a voz de Deus dizendo: “Crio novos céus e nova Terra”; João, em Apocalipse, diz: “Vi novo céu e nova Terra”. Podemos compreender que Isaías, profeta, repetia as palavras de Deus criador; João, em desdobramento, foi transportado a um tempo futuro para vislumbrar o que há de vir.

2 – Em Isaías, fala-se em um mundo de alegria. João cita um novo mundo aonde não exista sofrimento.

3 – Em Isaías, Deus diz: “Crio para Jerusalém nova alegria”; João vê a Nova Jerusalém que desce do céu.

4 – Em Isaías, Deus diz: “Me alegrarei no meu povo”. João diz: “Eles serão o Seu povo e Deus estará com eles.”

5 – Em Isaías, lemos: “Seus descendentes estarão com eles.” Em João, “Quem vencer herdará todas as coisas”.

6 – Em Isaías, lemos: “Não mais se ouvirá voz de choro ou clamor.” Em João, “Deus limpará de seus olhos toda a lágrima” e “Não haverá pranto nem clamor”.

7 – Em Isaías, Deus diz: “Antes que clamem eu responderei.” Em João, “Ele será meu filho” e “lhe darei da fonte da água da vida”.

8 – No final do texto de Isaías, existe a promessa de um mundo novo, um mundo onde não exista mais o sofrimento ou a morte. Em João, temos as advertências para que possamos permanecer no mundo que está por vir.

Publicado por: Pedro Tavares | 18/10/2013

Deveres Humildes

“Em verdade vos digo que esta pobre viúva deu muito mais dos que, antes, puseram suas dádivas no gazofilácio. ”

JESUS – MARCOS, 12:43.

“Aliás, será só com o dinheiro que se podem secar lágrimas e dever-se-á ficar inativo, desde que se não tenha dinheiro? Todo aquele que sinceramente deseja ser útil a seus irmãos, mil ocasiões encontrarão de realizar o seu desejo. ”

O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 13, 6.

Abracemos, felizes, as atividades obscuras que a vida nos reserve.

Grande é o sol que sustenta os mundos e grande é a semente que nutre os homens.

Engenheiros planificam a estrada, consultando livros preciosos no gabinete e, a breve tempo, larga avenida pode surgir da selva.

Entretanto, para que a realização apareça, tarefeiros, abnegados removem estorvos do solo transpiram no calçamento.

Urbanistas esboçam a planta de enorme edifício, alinhando tragos nobres, ante a mesa tranquila e é possível que arranha céu se levante, pressuroso, acolhendo com segurança numerosas pessoas.

Todavia, a fim de que a obra se erga, esfalfam-se lidadores suarentos, na garantia dos alicerces.

Técnicos avançados estruturam as máquinas que exaltam a indústria e, com elas, é provável se eleve o índice da evolução de povos inteiros.

No entanto, para que isso aconteça, é indispensável que operários valorosos exponham as próprias vidas, junto aos fornos candentes, de ferro e ago.

Negociantes de prol arregimentam os produtos da terra e por eles, conseguem formar a economia e o sustento de grandes comunidades.

Mas semelhante vitória comercial exige que anônimos semeadores chafurdem as mãos no limo da gleba.

Não perguntes “quem sou eu?”, nem digas “nada valho”.

Honremos o serviço que invariavelmente nos honra, guardando-lhe fidelidade e ofertando-lhe as nossas melhores forças, ainda mesmo quando se expresse, através de ocupação, supostamente esquecida na retaguarda.

Nos princípios que regem o Universo, todo trabalho construtivo é respeitável.

Repara esse dispositivo da Lei Divina funcionando em ti próprio.

Caminhas e pensas de cabeça içada à glória do firmamento, contudo, por ti mesmo, não avançarás para a frente, sem a humildade dos pés.

Emmanuel. Livro da Esperança.
Psicografado por Francisco Cândido Xavier.

Publicado por: Pedro Tavares | 18/10/2013

Oração da Migalha

Senhor!

Quando alguém estiver em oração, referindo-se à caridade, faze que esse alguém me recorde, para que eu consiga igualmente ajudar em teu nome.

Quantas criaturas me fitam, indiferentes, e quantas me abandonam por lixo imprestável!…

Dizem que sou moeda insignificante, sem utilidade para ninguém; contudo, desejo transformar-me na gota de remédio para a criança doente. Atiram-me a distância, quando surjo na forma do pedaço de pão que sobra à mesa; no entanto, aspiro a fazer, ainda, a alegria dos que choram de fome. Muita gente considera que sou trapo velho para o esfregão, mas anseio agasalhar os que atravessam a noite, de pele ao vento… Outros alegam que sou resto de prato para a calha do esgoto, mas, encontrando mãos fraternas que me auxiliem, posso converter-me na sopa generosa, para alimento e consolo dos que jazem sozinhos, no catre do infortúnio, refletindo na morte.

Afirmam que sou apenas migalha e, por isso, me desprezam… Talvez não saibam que, certa vez, quando quiseste falar em amor, narraste a história de uma dracma perdida e, reportando-te ao reino de Deus, tomaste uma semente de mostarda por base de teus ensinos.

Faze, Senhor, que os homens me aproveitem nas obras do bem eterno!… E, para que me compreendam a capacidade de trabalhar, dize-lhes que, um dia, estivemos juntas, em Jerusalém, no templo de Salomão, entre a riqueza dos poderosos e as joias faiscantes do santuário, e conta-lhes que me viste e me abençoaste, nos dedos mirrados de pobre viúva, na feição de um vintém.

Meimei. O Espírito da Verdade.
Psicografado por Francisco Cândido Xavier.

Publicado por: Pedro Tavares | 18/10/2013

Provas Irreveladas

Do ponto de vista moral, há bastante infortúnio escondido em toda a parte.

Nos ambientes mais diversos, nos momentos em que menos se espera, com as pessoas fisionomicamente mais seguras de si, a aflição desponta inesperada e o pranto pode estar surgindo às ocultas.

Desilusão, moléstia, revolta e desalento em muitos casos não afluem à face das circunstâncias exteriores.

Familiar decepcionado com o noticiário desairoso que vem a saber com respeito ao parente querido.

Jovem agoniada na frustração de projetos matrimoniais.

Pai fustigado pela doença incurável de um filho.

Mãe ansiosa pela reconciliação impraticável com o pai de sua prole.

Cavaleiro bem-posto, mas absolutamente inconformado com a deficiência física de que se sabe portador, sem que os outros percebam.

Viúva atormentada pela falta de garantias no lar.

Cônjuge que não mais confia na companheira de vinte anos.

Homem ferido pela consciência na fase de transição entre um passado recente de erros e um futuro de maiores acertos.

Chefe enfermo de família numerosa, repentinamente desempregado.

Criatura robusta e aparentemente normal, envolvida em tramas de obsessão.

Aprendamos com a Doutrina Espírita que o pretérito se reflete no presente e que a lei de causa e efeito funciona em qualquer paisagem social, em qualquer pessoa, em todos os bastidores profissionais e todos os dias.

Ponderemos nisso, a fim de não faltarmos com o apoio devido à harmonia que nos cabe manter nos domínios da vida.

Se alguém lhe respondeu asperamente, se um amigo aparece incompreensivo, se aquele companheiro passou de súbito a dedicar-lhe antipatia gratuita, se aquele outro lhe abalroa as edificações espirituais, e se muitos não lhe correspondem, de leve, às esperanças, suponha semelhantes irmãos presos mentalmente a problemas irrevelados de angústia e coloque-se na posição deles, com as provas e desvantagens que experimentam, e decerto você se compadecerá de cada um, dispondo-se a auxiliá-los.

Nem sempre a voz corrente fala tudo o que vai nas almas.

Repitamos para nós que a verdadeira caridade se resume na compreensão para além das aparências dos espíritos com os quais se convive, perdoando e ajudando silenciosas e desinteressadamente, de nossa parte, onde estejamos, como se faça necessário e tanto quanto seja possível.

André Luiz. Estude e Viva.
Psicografado por Waldo Vieira.

Publicado por: Pedro Tavares | 18/10/2013

Mensagem de Companheiro

Se já pudeste receber o amparo do Espiritismo, sustenta a obra espírita, a fim de que a obra espírita continue a auxiliar.

Não sonegue o ensino que entesouras, nem fujas do bem que podes fazer.

Quantos esperam de alguém um aviso fraterno, uma palavra de entendimento, um livro tonificante ou um gesto de apoio, para evitara a queda iminente!…

Compadeces-te dos enfermos e dos famintos e repartes com eles as migalhas do bolso e os recursos do prato. Pensa também nos necessitados da alma, que caminham na terra em penúria do coração.

Reflete nas aflições que se escondem sob os rituais da etiqueta; nos calvários endinheirados; nas obsessões ardilosamente embutidas na inteligência; no desânimo dos bons; nas dores bem trajadas; nos remorsos enquistados na consciência; nos males ocultos; e no desespero dos que revolvem as cinzas, procurando um sinal de sobrevivência dos entes amados que se despediram na morte….

Muitos daqueles que julgas embriagados de alegria trazem no peito um vaso de lágrimas e muitos daqueles outros que imaginas realizados, tão-só porque os viste pelas lentes da fama, carregam dificuldades e provações, mendigando socorro espiritual.

É que há sombras e sombras. Para repelir as que assaltam os olhos basta o conhecimento da luz, mas para dissipar as que envolvem a alma será preciso a luz do conhecimento.

Deixa, assim, que o Espiritismo – a refletir o Sol do Evangelho – ilumine a vida, através de ti.

Para isso, não te dês a qualquer exigência.

Fala o conceito espírita em momento adequado; estende a página espírita com a espontaneidade de quem alivia o sedento na fonte de água pura; testemunha a convicção espírita, no regozijo ou no sofrimento; e oferece o exemplo espírita na vivência dos princípios que amamos, em trabalho e paciência, compreensão e humildade.

O apostolado de Allan Kardec é a restauração do Cristianismo simples e claro, em que Jesus procura o povo e o povo encontra Jesus.

Corações em prece e mãos em serviço!….

Se já nos foi possível receber o concurso do Espiritismo, apoiemos a obra espírita, a fim de que a obra espírita continue a auxiliar.

André Luiz. Estude e Viva.
Psicografado por Waldo Vieira.

Older Posts »

Categorias